O Fariseu e o Publicano – Parábola de Jesus

Antes de continuar o artigo, gostaria de te fazer uma rápida pergunta "Você gostaria de Ler a bíblia toda no ano de 2018? Você quer realmente aprender a Bíblia de capa a capa, de Gênesis a Apocalipse, capítulo po capítulo?" O que você acha de experimentar por 1 mês, através de vídeo-aulas, ai no conforto da sua casa, com linguagem simples, de seu computador, tablet ou celular? SE GOSTOU DA IDEIA, clique aqui e veja como funciona (as vagas são limitadas)

Uma parábola das mais simples, mais uma das mais poderosas. Uma profunda demonstração de amor de Deus para com todos, em cima de uma única exigência: humilhação e confissão de pecados por parte de todo homem.

Nesta passagem bíblica (muito conhecida sobre o Fariseu e o Publicano) citada por Jesus em Lucas 18.9 -14, o mestre distingue dois tipos de pessoas: a soberba e a humilde; E bem sabemos que sua preferência é pelos humildes, pois a estes Ele dá graça; E aos soberbos Ele os resiste. Ao observar a orientação que Deus dá a Salomão em 2º Crônicas 7.14, podemos ver o quanto Deus anseia uma reconciliação de nossa parte para com Ele, e que só por meio de um coração contrito e espírito quebrantado que Deus nos ouve e sara nossa terra.

No tempo de Jesus, tanto o Fariseu quanto o Publicano serviam ao Deus de seus pais (o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó). O Fariseu, como ele mesmo se autodenominava não roubava, não era injusto e nem adultero; E ainda jejuava duas vezes por semana, sem contar que era dizimista em tudo. Sabe-se ele que seus atos diante Deus não precisavam ser relatados, pois o Senhor vê tudo o que oculto está e é recompensador (Mateus 6.18). De tudo quanto disse o fariseu, referia-se ele a seu irmão judeu-publicano, pois todo publicano (cobradores de impostos a serviço do Império Romano) não era como ele; Estes sim eram defraudadores corruptos que não hesitavam em extorquir seu próprio povo com cobranças indevidas de impostos, sendo assim não só odiado pelos fariseus, mais por toda classe religiosa e política judaica, resumindo, por todo o Israel.

Diante de uma oração egocêntrica e ao mesmo tempo acusadora do fariseu e uma reconhecedora de seus atos pecaminosos do publicano, Jesus nos garante que para ele não há filhos prediletos e que todo homem esteja sempre aos pés da cruz, sabendo se sujeitar e reconhecer que é um mísero pecador; Porque para Deus a mudança e a transformação de uma vida pode se dar em segundos, basta somente você se arrepender do fundo de sua alma. Como no livro de Lucas 23. 41-43, um certo ladrão que estava sendo crucificado ao lado de Jesus, e em suas últimas palavras de vida ao se arrepender e reconhecendo Jesus como salvador disse:

Nós estamos sendo punidos com justiça, porque estamos recebendo o que os nossos atos merecem. Mas este homem não cometeu nenhum mal. Então ele disse: Jesus lembra-te de mim quando entrares no teu Reino.

Seja fariseu, publicano, crente, descrente, e ate mesmo ateu. Independente de sua classe, seja ela: social, econômica, política e religiosa ao qual pertencer, você tem que estar ciente de que a todo o momento, em qualquer hora e em qualquer lugar o homem precisa sempre “ se humilhar sob a poderosa mão de Deus, para que Ele, em tempo oportuno os exalte.” (I Pedro 5.6) Pois o que torna o homem grande é a humildade, e diante de toda a sua honra ela está à frente.

O que você achou da parábola sobre o fariseu e o Publicano?

Deixe seu comentário!

Que Deus te abençoe da parte do nosso Senhor e salvador Jesus Cristo!

Graça e Paz,

Ricardo Ribeiro

Mais Estudos Bíblicos (clique para ver):

AGORA COMPARTILHE ESTA MENSAGEM:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *