Os Dois Filhos – Parábola de Jesus

Antes de continuar o artigo, gostaria de te fazer uma rápida pergunta "Você gostaria de Ler a bíblia toda no ano de 2018? Você quer realmente aprender a Bíblia de capa a capa, de Gênesis a Apocalipse, capítulo po capítulo?" O que você acha de experimentar por 1 mês, através de vídeo-aulas, ai no conforto da sua casa, com linguagem simples, de seu computador, tablet ou celular? SE GOSTOU DA IDEIA, clique aqui e veja como funciona (as vagas são limitadas)

Você já recebeu uma ordem de seus pais, disse que concordava com ela e decidiu não cumpri-la? Se você respondeu sim, eu imagino que, provavelmente, tenha recebido uma punição por isto.

Já aconteceu o contrário, de seus pais te deram uma ordem e você dizer a eles que não a cumpriria? Imagino que sim. Talvez alguém diga que jamais teria a mínima ousadia de ter desobedecido aos seus pais.

Mas, supondo que você tenha dito que não cumpriria a ordem, mas caiu em si, se colocou no papel de filho, se arrependeu e resolveu fazer a vontade de seus pais. Imagino que sim também. Afinal, um coração simples e quebrantado de um filho obediente é uma bênção para os seus pais.

Foi usando este comparativo que Jesus contou a parábola dos dois filhos.

Mateus 21.28-32
28 E que vos parece? Um homem tinha dois filhos. Chegando-se ao primeiro, disse: Filho, vai hoje trabalhar na vinha.
29 Ele respondeu: Sim, senhor; porém não foi.
30 Dirigindo-se ao segundo, disse-lhe a mesma coisa. Mas este respondeu: Não quero; depois, arrependido, foi.
31 Qual dos dois fez a vontade do pai? Disseram: O segundo. Declarou-lhes Jesus: Em verdade vos digo que publicanos e meretrizes vos precedem no reino de Deus.
32 Porque João veio a vós outros no caminho da justiça, e não acreditastes nele; ao passo que publicanos e meretrizes creram. Vós, porém, mesmo vendo isto, não vos arrependestes, afinal, para acreditardes nele.

O Contexto da Parábola dos Dois Filhos

Um pouco antes de Jesus contar esta parábola, ele havia entrado no templo, foi cercado por religiosos e teve sua autoridade questionada. Sabiamente, Jesus faz uma pergunta sobre o batismo que João realizava, deixando aqueles religiosos sem resposta.

O batismo de João era de arrependimento para o perdão de pecados, preparando o caminho do Salvador, como lemos em Marcos 1:4.

Jesus iniciou seu ministério, logo após a tentação, pregando o evangelho do arrependimento porque o Reino de Deus se aproximava, como lemos em Mateus 4:17.

Depois, os discípulos também pregaram sobre arrependimento, como lemos em Atos 2:38.

Com o constrangimento a que os religiosos ficaram, Jesus declara que não teria razão para explicar-lhes sobre a sua autoridade.

Então, a partir disto, Jesus introduz a parábola dos dois filhos. A chave da parábola dos dois filhos é o arrependimento.

O Primeiro Filho Honrava com os Lábios

Na parábola, vemos claramente o primeiro filho querendo honrar o pai simplesmente com seus lábios e não se importava verdadeiramente em fazer a vontade do pai. Este filho não se preocupava em agradar a seu pai, não se preocupava em honrá-lo. O coração estava longe do pai.

Marcos 7.6
“Respondeu-lhes: Bem profetizou Isaías a respeito de vós, hipócritas, como está escrito: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim.”

Será que não estamos como o primeiro filho da parábola, com o coração endurecido e distante do Pai?

Será que não estamos assim, honrando a Deus, nosso Pai Eterno, apenas com palavras e o coração, a alma, o entendimento e força estão muito distante?

O Segundo Filho Encontrou Caminho de Arrependimento

Conseguimos enxergar nesta parábola de Jesus uma postura diferenciada no segundo filho, ele encontrou o caminho do arrependimento.

Este filho agiu como muitas vezes agimos quando recebemos uma direção de Deus, ouvimos sua vontade, algo que talvez não nos agrade e decidimos em não fazer a vontade do pai. Ou nos omitimos e não fazemos, ou fazemos diferente. Nós pecamos.

Desobedecemos? Sim. Pecamos? Sim. Deveríamos ter pecado? Não.

O mais importante é sabermos que somos pecadores, sim. Mas pecadores arrependidos aos pés de Jesus. E, assim como Davi, reconhecermos nossas transgressões e encontrarmos caminho de arrependimento.

Salmos 51
1 Compadece-te de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; e, segundo a multidão das tuas misericórdias, apaga as minhas transgressões.
2 Lava-me completamente da minha iniquidade e purifica-me do meu pecado.
3 Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim.
4 Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mau perante os teus olhos, de maneira que serás tido por justo no teu falar e puro no teu julgar.

Quando há o arrependimento sincero, existe uma mudança de rumo que conduz ao perdão de pecados e atrai a presença de Deus, trazendo refrigério.

Atos 3
19 Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados,
20 a fim de que, da presença do Senhor, venham tempos de refrigério, e que envie ele o Cristo, que já vos foi designado, Jesus,
21 ao qual é necessário que o céu receba até aos tempos da restauração de todas as coisas, de que Deus falou por boca dos seus santos profetas desde a antiguidade.

Qual dos dois filhos você quer ser: o que honra com os lábios e o coração está distante ou que é pecador arrependido que faz a vontade do Pai?

Deixe seu comentário!

Que o Senhor te abençoe e te guarde! Que Ele te conduza e governe sua vida!

Geraldo Augusto, do Você Tem Acesso

Mais Estudos Bíblicos (clique para ver):

AGORA COMPARTILHE ESTA MENSAGEM:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *